Google+ Followers

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Inteligência Demasiadamente Podre

Uma personalidade devastada por suas experiências egocêntricas,desfalcadas em contextos hedônicos bem pecúliares...
Charmosos, inteligentes e simpáticos...Mentirosos e manipuladores. Pessoas que não se importam de passar por cima de tudo e de todos para alcançar seus objetivos. Egocêntricos e narcisistas, eles não sentem remorso, muito menos culpa. Se algo ou alguém ameaça seus planos, tornam-se agressivos. São mestres em inverter o jogo, colocando-se no papel de vítimas. E estão sempre cientes de todos os seus atos.
Como se fossem pessoas com mente debilitada, assim é na psicopatia. A parte cognitiva ou racional é perfeita, ou seja, sabem perfeitamente que estão infringindo regras sociais e por que estão fazendo. O déficit deles está no campo dos afetos e das emoções. Assim, para eles, tanto faz ferir, maltratar ou até matar alguém que atravessa o seu caminho ou os seus interesses, mesmo que esse alguém faça parte de seu convívio íntimo.
A grande maioria dos seres humanos é formada de empáticos: o sofrimento alheio provoca dor neles mesmos, o que os leva a tentar ajudar seus semelhantes. Ajudar o outro é uma forma de aliviar a dor que este lhes causa. Desta forma, nosso cérebro nos leva a ter comportamentos que garantem a harmonia social.
De modo simples e didático, podemos resumir nosso cérebro em duas importantes áreas: o sistema límbico (a sede das emoções) e o lobo frontal (sede do raciocínio).
Uma pessoa empática é capaz de ter ações compassivas e socialmente adequadas pois, como seu sistema límbico é ativado por emoções básicas, como raiva e medo, ele envia sinais para o lobo frontal onde são ativadas as áreas responsáveis pelos aspectos cognitivos, frios e racionais, assim como o julgamento moral.

.Esses comportamentos desprezíveis são resultados de uma escolha exercida de forma livre e sem qualquer culpa. A mais evidente expressão da psicopatia envolve a flagrante violação criminosa das regras sociais, eles sabem perfeitamente o que estão fazendo. Quanto aos sentimentos, porém, são absolutamente deficitários, pobres, ausentes de afeto e de profundidade emocional: “Assim, concordo plenamente quando alguns autores dizem, de forma metafórica, que os psicopatas entendem a letra de uma canção, mas são incapazes de compreender a melodia”.
Segundo dados estatísticos, os psicopatas são 4% da população: 3% são homens e 1% mulher. Ou seja, a cada 25 pessoas, uma é psicopata. E como seus atos criminosos não provêm de mentes adoecidas, mas sim de um raciocínio frio e calculista combinado com uma total incapacidade de tratar as outras pessoas como seres humanos, eles não são considerados loucos, não sofrem de alucinação ou apresentam sofrimento mental. Vivem incógnitos, em todos os setores sociais. São homens, mulheres, de qualquer raça, credo ou nível social.
Trabalham, estudam, fazem carreiras, se casam, têm filhos, mas definitivamente não são como a maioria das outras pessoas. Apenas em casos extremos, os psicopatas matam a sangue-frio, com requintes de crueldade, sem medo e sem arrependimento. Em sua grande maioria, eles não são assassinos e vivem como se fossem pessoas comuns. Existem várias faces da psicopatia, citando alguns exemplos entre eles estão, políticos que desviam rios de dinheiro da saúde, da educação e de tudo que for possível, sem ao menos sentir culpa do que estão fazendo, porém sabem o que estão fazendo. No trabalho, pessoas dispostas ao impossível para subir de cargo, atropelando seja quer for, fazendo amigos com um único interesse em se dar bem, sempre com esse grande propósito de se ver sempre dominando e se fazendo de vítima. O absurdo é que muitas dessas pessoas passam despercebidas pela sociedade, na verdade a sociedade em si acredita que Psicopatas são apenas aqueles que matam a sangue frio e sem piedade, mas na realidade os psicopatas que apresentam a psicopatia leve e são muitos e estão sempre muito próximo de nós, como esses exemplos que citei.
Admitir que existem criaturas com essa natureza é quase uma rendição ao fato de que o 'mal' habita entre nós, lado a lado, cara a cara.

FONTE: Mentes Perigosas - O Psicopata Mora ao Lado, da Psiquiatra Ana Beatriz Barbosa Silva.

Um comentário: